Voltar

Auschwitz Bloco da Morte

Auschwitz Bloco da Morte

O Bloco da Morte número 11 era a central prisão de campo onde aqueles que tentavam escapar ou eram suspeitos de sabotagem eram punidos. Encontravam-se aqui as celas onde os aprisionados ficavam ser receber comida ou água até que morressem, celas permanentemente na escuridão ou as chamadas celas verticais para ficar em pé. No âmbito da acção de extermínio total dos judeus fazia-se aqui as experiências co o gás Zyklon – B. No edifício do Bloco encontra-se a cela do Santo Maximiliano Maria Kolbe quem sacrificou a sua vida para salvar um dos prisioneiros, pai da família Franciszek Gajowniczek. O franciscano faminto foi morto com a injecção de fenol, e o corpo foi queimado no crematório. Os visitantes, nas cavernas do Bloco, podem ver as celas da prisão, no rés-do-chão a sala onde decorreu o tribunal provisório e os quartos para os oficiais da SS. No campo KL Auschwitz-Birkenau morreu também a Santa Edita Stein. Era de origem de uma família judaica, no ano 1922 batizada na igreja católica, e  no ano 1933 ingressou na ordem das freiras carmelitas adoptando o nome de Teresa Benedicta da Cruz. Presa na Holanda pelo gestapo, foi transferida a Auschwitz. Morreu na câmara de gás por volta de 9.08.1942, o seu corpo foi queimado no crematório do campo. É padroeira da Europa desde 1999.

Multimídia

Reproduzir Reproduzir