Voltar

Cracóvia

Cracóvia

Cemitério Podgórski
Cemitério Podgórski, localizado ao pé do túmulo monte de Krakus, foi criado no ano 1900. Muitas vezes alargava a sua área atual (cerca de 8 hectares). No seu terreno, além dos túmulos das pessoas cívis e soldados, chamam atenção os monumentos elevados juntos aos túmulos dos soldados das legiões da 1,2 e 3 Brigada dos soldados austríacos ou escoteiros falecidos durante a ocupação. O seu descanso encontraram aqui as pessoalidades famosas, entre elas: E. Dembowski juntamente com os rebeldes do ano 1843, A. Mateczny, W. Bednarski. A necrópole faz parte da Rota  Europeia Cemitérios criada pelo Conselho da Europa.

Cemitério Rakowicki
A mais antiga necrópole da cidade foi funda da nos anos 1801-2. No ano 1920 foi fundado o cemitério militar (Prandoty), com os túmulos dos soldados polacos, russos, britânicos, alemães. Ocupa a área de mais de 42 hectares. É lugar de descanso de cidadãos de Cracóvia e pessoas merecidas, entre outros, J. Dietl, L. Rydl, H. Jordan, K. Olszewski, J. Matejko, H. Modrzejewska, família Estraicher, T. Kantor ou M. Grechuta. O objeto na rota “Seguindo João Paulo II em Cracóvia”. No cemitério são sepultados os pais e o irmão do Papa.

Cemitério Salwatorski
.Cemitério Salwatorski foi fundado no ano 1868 como cemitério paroquial para os habitantes dos subúrbios de Cracóvia. No ano 1889 foi construída a capela neogótica de São José. Com a sua localização pitoresca, o cemitério logo se tornou local de sepulcro de muitos artistas, escritores e científicos. Entre os mais conhecidos, as suas tumbas têm aqui: Dymny, M. Kotlarczyk, W. Lutosławski, J. Osterwa, T. Wyspiańska, J. Sztaudynger, J. Meissner, E. Romer, K. Wyka, S. Lem.

Criptas de Wawel
Nos subterrâneos da Catedral Real em Wawel encontram-se as tumbas com as cinzas dos reis polacos e das suas famílias, desde os tempos do Sigismundo I, o Velho, com a exceção dos últimos três monarcas.  A cripta de São Leonardo é lugar de repouso de Tadeusz Kościuszko, general Władyslaw Sikorski, a cripta aos pés da Torre de Campanas de Prata – do  marechal Józef Piłsudski e do presidente Lech Kaczyński com a esposa. Na Cripta dos Poetas Nacionais encontram-se os sarcófagos de Adam Mickiewicz, Julisz Słowacki e a urna com as cinzas de Cyprian Kamil Norwid.

Cripta dos Merecidos na Skałka
Entre as escadas conducentes até a igreja dos padres Paulinos na Skałka, no ano 1882 foi criada a Cripta dos Merecidos destinada para o mausoléu dos polacos merecidos. É onde repousam as cinzas de: Jan Długosz, Wincenty Pol, Lucjan Siemieński, Józef Ignacy Kraszewski, Adam Asnyk, Teodor Lenartowicz, Stanisław Wyspiański, Jacek Malczewski, Henryk Siemiradzki, Karol Szymanowski, Tadeusz Banachiewicz, Ludwik Solski e Czesław Miłosz.

Panteão Igreja da São Pedro e Paulo
O Panteão Nacional em Cracóvia é o novo lugar de descanso para os execelentes autores da cultura, ciência e arte. Vai ser composto de reconstruída  criptas provenientes da igreja de São Pedro e Paulo e do novo edifício planejado ao lado da igreja. A primeira parte do Panteão foi aberta no ano 2012, no 400 aniversário da morte do padre Piotr Skarga, que repousa nos subterrâneos da igreja. A decisão sobre os futuros enterros no Panteão é da competência da Associação convocada para este efeito.

Multimídia

Reproduzir Reproduzir

Recursos Relacionados